Homem-Aranha: No Aranhaverso (Review)

Imagem de capa com todas as versões do Homem-Aranha

Desde o momento no qual a Sony revelou para nós, que existiria um filme do Homem-Aranha animado, com um estilo de animação mais robusto, parecendo até um quadrinho animado, tendo Miles Morales como personagem principal… o hype estava instaurado. Cada nova imagem/informação que saía sobre este filme, empolgavam, não só a mim, como a maioria dos fãs do teioso.

Após o filme ter feito sua estreia nos EUA, o que você via nas redes sociais era o pessoal comentando sobre a crítica que adorou o filme, assim como o público geral. Basicamente, não havia maneira de estar pessimista com relação a Homem-Aranha: No Aranhaverso.

Será que o filme é tudo isso mesmo? Vale a pena assistir, por mais que o “gênero” de super-herói esteja saturado? Com tantos Homem-Aranha, nenhum ofusca o outro?

Essa e outras perguntas você vai ter a resposta lendo está review!

 

Miles Morales em ação!

Produzido pela Sony Pictures Animation, Marvel Entertainment e Columbia Pictures. Homem-Aranha: No Aranhaverso, é um filme animado, lançado no dia 14 de dezembro de 2018 nos Estado Unidos. Já aqui no Brasil, seu lançamento ficou para o dia 10 de janeiro de 2019. Dirigido por: Bob Persichetti, Peter Ramsey e Rodney Rothman.

Na história acompanhamos a vida de Miles Morales. Um garoto carismático do Brooklyn, que está passando por uma nova fase em sua vida. Principalmente quando ele é picado por uma estranha arranha que lhe dá poderes semelhantes ao do Homem-Aranha.

Miles Morales com a roupa do Homem-Aranha original

Como se não bastasse, Miles acaba se envolvendo na luta do cabeça de teia contra o Wilson Fisk. O vilão quer abrir uma passagem para outras dimensões alternativas, o que pode resultar na destruição de Nova Iorque inteira. Devido a está tentativa, outros super-heróis com poderes de aranha, acabam presos na dimensão do Miles.

E como sempre, cabe a todos eles, salvarem a população e fazer com que cada um volte para seu próprio universo.

Você pode esperar muita ação, comédia e drama. O pacote completo de uma história do Homem-Aranha.

 

O padrão, contado de uma forma divertida

O enredo é bem simplório. Como citei anteriormente, você encontra todas as características de uma história do Homem-Aranha: vilão querendo acabar com o nosso herói, piadas típicas dele, dose de drama, o personagem ganhando confiança para usar seus poderes, etc.

Entretanto, isso não significa que o filme é chato, ou até mesmo previsível. Pelo contrário! A história é bem gostosa de se acompanhar, ver a interação entre diferentes Homem-Aranha, o Miles evoluindo. É tudo bem divertido. Algumas coisas você até consegue prever — facilmente — mas nada que atrapalhe a experiencia como um todo. Só não espere algo diferente do que está acostumado com filmes de super-heróis… não no quesito enredo.

Qualquer pessoa que assistir, não importando a idade, vai gostar. E falando em idade…

 

Peso pequeno

Algo que me incomodou nesse filme é o peso pequeno de certas cenas, devido a faixa etária. Como “Homem-Aranha: No Aranhaverso” é recomendado para crianças menos de 10 anos (nos Estado Unidos é outro tipo de classificação, mas acho que vocês compreendem o ponto aqui), perde muito o impacto de momentos chaves.

Inclusive, existe um momento na qual eu realmente não esperava que tal coisa iria acontecer, só que pela forma que foi feita, perdeu pontos comigo, não consegui ficar tão emocionado quanto deveria. Até acho que esse acontecimento, deveria corroborar mais na história…

Isso não acontece direto no filme, são partes específicas. Talvez até alguns me critiquem por estar “pedindo demais de um filme para crianças”. Provavelmente eu esteja, mas estou dando minha opinião aqui, o que eu senti. Cabe a você decidir se leva isso em consideração.

No final das contas, isso também não atrapalha em nada a cremosidade que é assistir esse filme.

 

Uma maravilhosa reunião

Já deixo claro que Miles Morales é um ótimo personagem, cativante, é fácil conseguir se identificar com seus problemas. Bom senso de humor, afirmo tranquilamente que esse Miles do Aranha verso, é melhor do que o dos quadrinhos. Ele tem mais personalidade.

O “Homem-Aranha mais velho” também ganha um destaque maior, pois ele vai servir como mentor para Miles. Essa versão do Peter faz uma dupla muito boa com nosso protagonista; a química ficou perfeita, outro ponto que deixa a experiencia de assistir ainda mais prazerosa.

Imagem do porco-aranha junto do Peter, Miles, Gwen e Tia Mei.

Outro acréscimo nesse sentido é das outras versões do Aranha. Cada um tendo uma interação diferente, trazendo um ar diferente. E nenhum deles rouba a cena de Miles.

Um detalhe bem legal é que quando aparece um novo “Homem-Aranha“, há uma pequena introdução falando sobre quem é aquela personagem. Comentam sobre a picada e dos poderes, após isso, falam: “o resto vocês já sabem…”. O bacana dessa parte, é que ninguém sabe o resto, porque cada personagem tem uma história própria, com características diferentes um do outro. E isso bate na tecla que o filme fala diversas vezes: qualquer um pode usar a máscara de Homem-Aranha.

É uma boa mensagem.

 

Alguém ficou apagado…

Se nenhum dos heróis ficou apagado entre às 1h e 56 minutos, alguém ficou…

Como está descrito na sinopse, o Rei do crime causou toda essa confusão entre dimensões. Claro que ele tem seus motivos, o que é bem plausível para quem já conhece mais do personagem. O filme passa essa ideia de maneira simples e funcional, minha única ressalva é sua pouca presença em foco. Daria para ter um espaço maior, criar algum tipo de rivalidade com o próprio Miles.

Dessa forma, talvez o final ganharia uma força maior. De resto, é um bom vilão, junto com os outros envolvidos.

 

Onde o brilho está!

Homem-Aranha: No Aranhaverso é, indiscutivelmente, um show visual. Sua estética foi o que mais chamou minha atenção. Realmente parece um quadrinho de super-herói, só que com movimentos. O filme usa diversas soluções visuais estupendas, tanto de enquadramento, cores, filtros. Um visual de encher os olhos.

Apesar que no caso da movimentação, ela pode parecer meio travada, com baixa taxa de quadros por segundo, todavia depois de um tempo curto, você acaba se acostumando.

O quesito artístico é o que mais fica evidente no filme. Não dá para esquecer daquele maravilhoso show de arte. É legal que alguns Homem-Aranha possui um tipo de animação próprio, por exemplo, o Noir é sempre preto e branco, o Porco-aranha é bem mais cartoon.

Imagem do Homem-Aranha Noir preto e branco

 

Solta o som Dj

Por fim, mas não menos importante. Temos uma boa seleção de músicas — variado também —  combinando com cada momento e atmosfera. Nem é meu estilo de música, só que encaixa tão bem, que você acaba entrando no clima.

Acessa aí a playlist no Spotify, clique aqui.

 

Melhor filme do Aranha?

O redator que aqui vos escreve, não consegue cravar se este é o melhor filme do teioso… Agora, que é um dos melhores, isso sem dúvida nenhuma. Para quem é fã, vai curtir ainda mais, até os fanservices que aparece são bem dosados e vão lhe divertir.

Mesmo o enredo sendo padrão, algumas cenas que deveriam ser chocantes meio fracas e o vilão apagado. Homem-Aranha: No Aranhaverso é uma obra que deve ser apreciada por todo mundo. Seu visual é uma das coisas mais únicas e bonitas que o cinema de animação já produziu. Este será um dinheiro bem gasto, garanto.

E aí, o que achou do filme? Gostou, não gostou? Comenta aí em baixo sua opinião, vamos adorar discutir este filme com vocês. Compartilhem este post com seus amigos que ajuda bastante a gente.

Obrigado por ler e até a próxima.

 

Curtiu? Compartilha ai!
  • 7
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    7
    Shares