Gravity Heroes – Primeiras Impressões | BGS 2018

Imagem de capa do Gravity Heroes

Jogos indies são uma maravilha, não concordam? O nível de variedade que encontramos é estupendo! Cada um com seu próprio estilo, suprindo diferentes tipos de necessidade, para diferentes tipos de jogadores.

No caso da BGS 2018, já falamos sobre Lenin The Lion, um RPG estilo Mother/EarthBound, em que não há lutas, tudo é resolvido através de escolhas. Do outro lado temos Adore, jogo de estratégia em tempo real (mesmo feeling de StarCraft), no qual você captura às criaturas que enfrenta, para utilizá-las nas batalhas.

Como podem ver, cada um tem sua peculiaridade e, chegou a vez de falar sobre Gravity Heroes. Um jogo 2D de arena futurística, onde saber utilizar a gravidade a seu favor, pode mudar o rumo durante o combate.

 

Os heróis da gravidade!

Esse simpático shooter de plataforma 2D, com estilo artístico todo em pixel art, estava disponível para qualquer pessoa que adentrasse a “avenida indie” na BGS 2018. Sua demonstração não durava tanto tempo assim, chuto que ficaria entre 15 ~ 20 minutos.

Tínhamos como opção: tutorial, campanha e versus. Cada modo poderia ser jogado até 4 pessoas, começando pela seleção de personagens, que lembra bastante Power Rangers (por causa das cores e capacete).

Imagem dos 4 personagens disponíveis no jogo

Antes de falar do gameplay em si, deixe me dar um breve resumo da história para vocês:

Seres conhecidos como Sintéticos, são robôs inteligentes e autônomos que coexistem junto das outras demais formas de vida no espaço.

Existe uma certa rixa entre humanos e Sintéticos, o que quase fez estourar uma guerra tempos atrás.

Na história atual do jogo, casos estranhos estão sendo reportados em diversos planetas, sobre um grupo de Sinéticos que estão se revoltando. É aí que os Gravity Heroes são acionados para neutralizar e investigar o motivo desse ocorrido.

 

Nó na cabeça

Depois de selecionar os personagens, você será transportado para uma arena. Nesse lugar seu objetivo é enfrentar uma determinada horda de inimigos, que vão aparecendo conforme os Sintéticos forem sendo derrotados. Após essa etapa, a fase é concluída e daí mudamos para outra.

O sistema me lembra muito um jogo de navegador do site Nitrome chamado, Nitrome must die.

Durante o combate é possível utilizar itens, basta pegá-los quando surgirem no mapa. Agora, o diferencial de Gravity Heroes certamente é o efeito de gravidade, onde o jogador determina para qual lado o seu personagem será direcionado pela força gravitacional.

Imagem de uma fase do jogo

De início é meio complicado. Sempre acontece de você confundir as direções, porém, dedicando algum tempo, dá para fazer belas jogadas. É deveras divertido, e serve tanto para atacar, como para se defender.

Na demonstração, usufruir da gravidade é essencial para derrotar o boss. Ou seja, podemos esperar por diversos desafios pelo decorrer do jogo, relacionado a essa mecânica.

 

Modo versus

Apesar de não ter jogado, não posso deixar de citar este modo de jogo. É bom que tenha uma variedade, dando mais vida útil para ele, pois existe muitos jogos indies bem curtos. Ainda mais que combina totalmente com a proposta.

Enfim, eu acabei só presenciando brevemente e, quem jogou pareceu satisfeito. Meio na mesma pegada do TowerFall, só que os personagens só mudam o visual mesmo.

Tá aí mais um jogo para você mostrar sua superioridade perante aos seus amigos, ou o contrário.

 

Visual em pixel amigável

Quem acompanha o GQ, sabe o quanto eu sou tendencioso quando o assunto é jogos pixelados (Momodora/Drifter). Amo bastante esse tipo de estilo artístico, e Gravity Heroes ganha bastante ponto nessa categoria, apesar da simplicidade.

O que mais impressiona é na parte de animação. Pela forma com que os personagens/inimigos se movem, é de encher os olhos.

Por exemplo, quando uma fase está prestes a começar, os personagens precisam colocar os equipamentos. Então cada um deles possui um movimento específico para transformar. É apenas um detalhe, mas que faz diferença.

Não é só nisso que o Studica Solution consegue destacar-se. A própria identidade visual como um todo, é incrível: logo, cartazes, esboços, até mesmo o material de divulgação na BGS era algo único!

 

Considerações finais

Definitivamente é um jogo muito promissor. Quando for lançado, já esperem que muitos Youtubers vão fazer vídeo jogando, confie nas minhas palavras.

Falando nisso, segundo os desenvolvedores, o lançamento fica para algum momento de 2019, inicialmente só no PC mesmo. Entretanto, ele tem cara de que terá até versão de Switch…

Caso queria acompanhar qualquer atualização ou notícia que sair, acompanhe tudo direto no Blog dos desenvolvedores, Página do Facebook, e claro, pelo Site oficial.

Quer saber mais sobre a BGS 2018? Nós temos bastante conteúdo sobre o assunto, basta clicar aqui!

Bom, o que acham do jogo? Gostaram? Querem testar? Deixa aí sua opinião nos comentários, e não esqueça de compartilhar este post com seus amigos.

Obrigado por ler e até a próxima.

 

Curtiu? Compartilha ai!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •