Bunny-Girl Senpai: Uma falta de carisma que pesa (Review)

Imagem de capa com o cartaz do anime

Na última temporada de animes de 2018, tivemos algumas surpresas positivas, e outras nem tanto. Seishun Buta Yarou wa Bunny Girl Senpai no Yume wo Minai (light novel e seus nomes extensos), está no meio dos animes em destaque. Parece que alcançou certo grau de destaque. Eu me incluo na soma, já que nos dois primeiros episódios, até que estava curtindo.

No final do anime, houve uma divisão entre as pessoas que gostaram bastante e quem achou sem graça, desinteressante, etc. E neste review, eu quero discutir principalmente um dos aspectos mais comentados de Bunny-Girl Senpai… seu protagonista.

Então venha saber do que se trata esse anime, minha opinião a respeito, e veremos se vale a pena ou não dar uma chance!

 

Complicações da adolescência

Bunny-Girl Senpai é um anime baseado em uma Light novel (de mesmo nome), produzido pelo estúdio CloverWorks. Este seria uma obra do gênero: comédia, romance, slice of life.

No nosso mundo existe uma espécie de “síndrome da adolescência“, onde coisas sobrenaturais acontecem com adolescentes, devido a algum trauma. Cada fenômeno é diferente, ou seja, nenhuma pessoa vai sofrer dos mesmos males que a outra.

Imagem da Mai tentando ser notada pelas pessoas

Sofrendo dessa “síndrome”, Sakurajima Mai, uma modelo/atriz, começou a ficar invisível para a maioria das pessoas em sua volta. Por mais que ela tente, ninguém consegue vela. Exceto pelo protagonista da história, Azusagawa Sakuta. Ele conhece sobre este evento sobrenatural, e decide ajuda-la.

Essa é a premissa do anime, que vai alterando seu foco entre outros personagens que venham a obter o problema da “síndrome da adolescência” — termo bem ruimzinho.

 

O padrão que não deu certo

Existe outras obras com formatos parecidos com o que Bunny-Girl Senpai apresenta; não é difícil encontrar exemplos para usar de comparação. Mesmo a história não sendo tão original assim, dá para extrair coisas desse tipo de narrativa: questionamentos sobre o comportamento humano; relação entre indivíduos; preconceito; sinceridade, autocompreensão, etc.

É nítido que o anime tenta passar algo para o telespectador, porém de uma maneira completamente simplória e parece que sem muito esforço também. Talvez isso seja mais culpa da direção e dos personagens, mas quase nada empolga ou emociona em Bunny-Girl Senpai.

Tudo é apresentado de maneira mórbida, sem ânimo, sem vida. Diversas vezes você nota que poderiam ter colocado mais capricho em determinada cena. Não há uma identidade própria, aqui temos unicamente um anime padrão com design/personagens/texto/cenário genéricos.

Por estes motivos, é complicado tirar algum entretenimento… não é impossível! Mas gostaria que fosse melhor.

 

O babaca que resolve problemas

Bunny-Girl Senpai não tem um elenco bom de personagens.

Estão longe de ser horríveis, todavia não são marcantes, nem ao menos chegam a ser interessantes. Agora, a discussão que sinto a necessidade de trazer para vocês é com relação ao Sakuta (personagem principal).

Para quem não assistiu o anime, me deixe dar uma base do tipo de pessoa que ele é: fala o que pensa, não tem muitos amigos, praticamente tudo que ele fala tem sarcasmo envolvido, tenta ajudar as pessoas que precisam, etc. O anime tenta muito passar a imagem de que ele é um cara “descolado”, e incluindo algumas de suas características, diria que bastante gente pode se identificar.

Imagem do Sakuta com a Mai

O que não seria um problema, caso Sakuta não fosse um babaca sem carisma. Procurando um pouco sobre o anime em redes sociais e fóruns, tenho certeza que vocês vão encontrar pessoas que adoraram o personagem. Entretanto, na minha experiência de assistir Bunny-Girl Senpai, ele é um estorvo.

Existe uma diferencia grande entre falar o que pensa e ser grosseiro. Sakuta é muito grosseiro com todo mundo, se não for isso, faz comentários de duplo sentido que simplesmente não me agradaram. Na maioria das vezes não tem graça, ou é apenas irritante. E fora que ele faz parte daquele tipo de personagem que não esbanja muita emoção. Permanece com uma feição sem emoção, parecendo uma tábua.

Sakuta ao menos possui seus momentos de demonstrar um pouco de sentimento… pena que o anime é tão sem sal, que perde a força quando precisa mostrar esses sentimentos. Seja de alegria ou tristeza.

O único momento mais legal da obra é quando é focado na irmã de Sakuta. Provavelmente é o máximo que conseguiram extrair de emoção — apesar de perderem parte dessa força no último episódio.

 

Nada demais

Não há muito o que falar sobre a parte técnica…

O design em todos os aspectos é genérico (apesar disso eu gosto do visual da Mai). Todo mundo tem o rosto igual, só mudando a cor do cabelo e olhos. Trilha sonora é simples. Vale a pena escutar a música de encerramento, é relaxante, gostosa de se ouvir.

Imagem do design dos personagens

No fim das contas, nada de relevante.

 

Podemos concluir que…

Pelo que foi dito até aqui, provavelmente você espera que eu não recomende o anime. Na verdade, eu realmente não recomendo. Porém, bastante gente gostou, então existe a possibilidade de acontecer o mesmo com você leitor. Coloque na regra dos três episódios e vai na sorte.

Eu tinha boas expectativas para Bunny-Girl Senpai quando comecei a assistir, terminei desapontado. Mesmo que na reta final ele tenha conseguido arrancar algo de minha pessoa, colocando as peças juntas, acaba não compensando o tempo.

Caso queira assistir, você pode optar pelo Crunchyroll.

E aí, o que acharam do anime? Gostam, odiaram? Pretende ver? Comenta aí em baixo a sua opinião e não esqueça de compartilhar este post com seus amigos!

Obrigado por ler e até a próxima.

 

Curtiu? Compartilha ai!
  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    2
    Shares