5 versões alternativas do Homem-Aranha que você deve ler

Capa com várias versões do Homem-Aranha

O Homem-Aranha está anda aparecendo muito nos holofotes ultimamente, fora o jogo de PS4 que já sai em Setembro, temos mais dois filmes por vir. Falta menos de um ano para que sejamos abençoados com o novo filme do cabeça de teia, só que, desta vez é uma animação (que está lindíssima!) e abordando o famoso arco do Aranhaverso. Então hoje, vamos aproveitar o gancho do filme e mostrar outras pessoas que também vestem o mesmo manto que nosso herói!

 

Capa da primeira edição do Edge of Spider-verse

Edge Of Spider-Verse

Já que estamos falando no Aranhaverso, começaremos por ele. Na verdade, este “Edge of Spider-verse” é uma minissérie que faz parte desta grande saga do aracnídeo. Nela temos 5 edições, cada um com um personagem diferente que mostra, mais ou menos, como eles foram se envolver nessa confusão toda.

Apesar de bem curtinha é uma boa porta de entrada para você conhecer diferentes versões do Homem-Aranha e, o melhor de tudo é que não precisa ter lido qualquer coisa anteriormente, caso pegue unicamente para conhecer estas versões alternativas, não tem problema nenhuma.

Homem-Aranha mecha

Eu tenho minhas preferências, porém, índigo fortemente que leiam a edição 4, esta é a mais diferente das demais, tem uma pegada que eu nunca esperaria ver sendo feita. Não vou dar nenhum detalhe (e por favor, não pesquisem no Google!!!) para que vocês também sejam surpreendidos assim como eu fui.

 

Imagem da edição da história mencionada no texto

Garota-Aranha (Anya Corazon)

Talvez a personagem menos conhecida por todos, não é de se estranhar já que ela não possui histórias aclamadas. Apesar disso, tem uma minissérie de 8 edições estrelada por ela que merece uma leitura.

A história é bem curtinha, não tem nada de tão incrível, contudo, as ideias de ter uma personagem sem nenhum poder de aranha, vestida como tal e combatendo o crime mesmo assim nós não vemos todos os dias. Além do fato bem curioso dela utilizar o Twitter, divulgando tudo que ela está fazendo enquanto heroína. Na prática isso é algo bem arriscado já que os super vilões não teriam trabalho de rastrear ela, mas vamos relevar esta parte.

Imagem da Garota-Aranha lutando contra o Hulk vermelho

É uma história bem simples, bem desenhada e com uma personagem bacana. Está meio entediado procurando algo para ler? Dá uma passada aqui, certamente que vai se entreter por algumas horas.

 

Primeira edição em que Miles Aparece como Homem-Aranha

Homem-Aranha (Miles Morales)

Após alguns eventos, o universo ultimate da Marvel ganhou um novo Homem-Aranha que no fim das contas, foi integrado ao universo tradicional devido a sua aceitação pela parte do público. Não é à toa que dentre os aqui citados é o que mais tem material para se ler e, seria o que eu mais recomendo dentre todos!

Miles é um personagem carismático, ele iniciou nesta vida de super-herói bem cedo, então tenha certeza que terá dilemas sobre conseguir manter esta vida dupla, mas de uma forma meio diferente comparado ao Peter. As tramas em sua maioria são bem intimistas, sempre envolvendo algo próximo a ele, seja os dilemas ou algum membro de sua família.

Imagem do Miles como Homem-Aranha

Tem algumas coisas que eu não curto, não posso dizer que é uma história perfeita, mas certamente vale muito a pena ler! Os desenhos da Sara Pichelli são incríveis, coloração também nem se fala. As histórias, apesar de tudo, entretém bastante, realmente espero acompanhar mais aventuras do Miles por um bom tempo. Leiam, vale a pena.

 

Capa da edição do Homem-Aranha Noir

Homem-Aranha Noir

O mais injustiçado. Digamos que esta é uma versão puxando um pouco para o lado no estilo de “série de investigação policial”. A história se passa a partir do ano de 1933, com um Homem-Aranha menos amigável, utilizando um uniforme bem diferente do normal e, portando um revólver.

Quando eu digo que ele é injustiçado, seria pela falta de aproveitamento do personagem. Fora a primeira edição do Edge of Spider-verse em que ele aparece, esse Aranha só possui outras duas séries, o que me deixa muito triste, já que tem muito potencial para ser explorado aqui. Digamos que ele tem uma pegada meio Batman, lutando contra máfia, algo no estilo que eu citei anteriormente.

Sem vilões mega poderosos querendo acabar com a cidade, só criminosos querendo conseguir dinheiro fácil e estabelecer seu domínio pelo submundo de Nova York. Seria algo mais pé no chão, com um clima um pouco mais adulto e soturno. Eu fico realmente decepcionado pela Marvel não ligar para o personagem.

Então, vamos dar valor para o que temos em mãos. A primeira série do Noir é bem ruinzinha na verdade, ele apresenta elementos muito instigantes, porém, a história é bem fraquinha/tosca, os desenhos são horríveis, quase não dá para entender o que está nos quadros e, este fator é agravado pela coloração, tudo parece meio borrado, muito difícil de se ler.

Imagem do Homem-Aranha Noir fugindo dos policiais

Apesar de tudo, é legal para conhecer a origem do personagem e também por mais que tenha defeitos, dá um gostinho de quero mais, que a ideia tem futuro, só não foi muito bem aproveitado aqui.

Já a segunda série “Eyes without a Face” é bem melhor, com uma trama mais envolvente, algumas cenas fortes, desenhos mais nítidos, etc. Este você não pode deixar passar, ainda mais porque é uma leitura bem rápida.

 

Imagem da capa estrelando a Spider-Gwen

Mulher-Aranha (Gwen Stacy)

Se o Noir é o injustiçado, neste caso temos a faca e o queijo na mão, mas tudo é desperdiçado. Vamos por partes, só pela ideia de Gwen Stacy ter os poderes ao invés do Peter, já consegue gerar determinado interesse de saber como isso seria, agora é observar o visual da personagem para decretar o sentimento de empolgação. O visual completo dela é muito estiloso, algo que tem sua simplicidade ao mesmo tempo que consegue cativar com as cores, sem contar a touca que (apesar de inútil) é a cereja do bolo.

Apesar do visual dela, os desenhos da série dela em si, são … peculiares. Os desenhos dos humanos, são muito estranhos e inconsistentes, sempre tem uma expressão meio distorcida, mas o mais engraçado é que geralmente aparece um ou outro ângulo que fica minimamente legal. As criaturas e a Gwen com o uniforme, até que são bem ok, talvez o que mais dá identidade para o quadrinho sejam as cores que são bem fortes.

Imagem da Gwen conversando com a Mulher-Aranha

Mas eu posso garantir que a maioria de vocês pode não conseguir ler muito devido a este tipo de arte. Dá uma certa incomodada, pode até começar a criar o famoso: ranço. E o pior, vocês podem estar pensando: “Ah, mas se a história for boa, pode compensar”. Eu realmente espero que este seja o caso, só garanto que o começo da história é bem desinteressante e não empolga muito.

Espero que isso mude já que o quadrinho possui, até o momento desta postagem, 34 edições. Deem uma conferida, Spider-Gwen merece uma atençãozinha pelo conceito da personagem, sem falar em algumas mudanças que o universo dela tem com relação ao tradicional.

 

Sentiu falta de alguém?

Existem muitas outras versões do cabeça de teia por aí, então esperamos que você comente se faltou alguém importante para você, se gostou dessa lista, pretende ler alguma história? Ter versões alternativa de um personagem tão querido, sempre gera certa curiosidade. Também não se esqueça de compartilhar com seus amigos, quanto mais pessoas para discutir este tema, melhor fica!

Muito obrigado por ler e até a próxima.

Curtiu? Compartilha ai!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •